ImgWonders
  1. Homepage
  2. @cpersindicato
Cpers Sindicato (@cpersindicato) Instagram Profile Photo

cpersindicato

Cpers Sindicato

Inscreva-se para a 4ª Mostra Pedagógica do CPERS👇🏼

http://bit.ly/4ªMostraPedagógicadoCPERS

imprensacpers2017@gmail.com

Posts by date

Most used hashtags

Most used words in caption

Avg Like Count: 117

Cpers Sindicato (@cpersindicato) Instagram photos and videos

List of Instagram medias taken by Cpers Sindicato (@cpersindicato)

O CPERS lamenta profundamente o episódio de violência ocorrido nesta quarta-feira (21) no Instituto Estadual de Educação Assis Chateaubriand, em Charqueadas, e se solidariza com toda a comunidade escolar e seus familiares, em especial a educadora e os estudantes feridos. É com grande consternação que testemunhamos a escalada desenfreada de todas as formas de violência no país e o aumento dos ataques perpetrados em escolas públicas, espaço por excelência da cultura de paz e do espírito comunitário. Esperamos que as autoridades estaduais e locais possam esclarecer os fatos com agilidade e eficiência, e que o fugitivo seja encontrado tão logo quanto possível. Também fazemos votos pela rápida recuperação das vítimas e cobraremos providências da Seduc para garantir a segurança da comunidade.

Frente ao aprofundamento da precarização e as incertezas sobre o futuro dos profissionais contratados(as), a direção central do CPERS promoverá um Encontro Estadual de Contratados(as) no dia 27 de agosto. . Cada núcleo do Sindicato poderá indicar até três educadores contratados(as). . No dia do encontro, há a possibilidade de votação na Assembleia Legislativa do PL 392/2019, que autoriza o Poder Executivo a realizar a contratação emergencial de 5 mil professores(as) e sinaliza para a realização de concurso público a partir de 2020. .

Atenção educador(a)! Queremos valorizar o seu trabalho e mostrar ao Rio Grande do Sul a riqueza da escola pública. . Participe da 4ª Mostra Pedagógica do CPERS. Basta preencher o formulário no link da bio. 🔔 .

O CPERS lança, nesta semana, a “Cartilha de Grêmios Estudantis”, voltada para informar os estudantes sobre o processo de construção de um grêmio nas escolas e sobre a atual conjuntura da educação pública no Brasil. . Vivemos um período de cortes de recursos para a educação e ataques à democracia e a autonomia pedagógica das escolas e dos(as) educadores(as). Esperamos que esta publicação seja atrativa e estimule a discussão e a organização estudantil. . O conteúdo foi construído em parceria com grêmios e entidades estudantis, que se comprometeram com a redação dos textos. . Acesse a versão online da cartilha no link da bio. Leia, compartilhe e nos ajude a fortalecer a luta! .

🔔 Está no ar mais uma edição do MINUTO SINETA! . Em 60 segundos, as notícias mais importantes da semana do CPERS. . Nesta edição: . 📢 Representantes de Escola 📢 X Congresso Estadual .

“Já estamos em uma situação difícil, sabendo que em dezembro nossos contratos encerram e agora vem a municipalização. Quem vai pagar minhas contas? Tenho duas filhas para sustentar. Não é fácil”, desabafa a professora Ana Maria Biolchi. A comunidade de Encantado vive novamente o drama da ameaça de municipalização de uma das escolas estaduais da cidade. Em 2016, Sartori impôs a municipalização da EEEF Heitor Alexandre Peretti, com a justificativa de que o local abrigaria uma creche. Até hoje a Prefeitura não fez uso da estrutura e o prédio é apenas um escombro, símbolo de abandono e descaso. Não basta fechar escolas, turmas e sonhos. A municipalização é outra estratégia do governo para reduzir a oferta pública, cortar recursos humanos e desmontar o Estado. Veja a matéria completa em nosso site www.cpers.com.br

Há um ano, percorremos 20 mil quilômetros dialogando com educadores(as) e estudantes em mais de mil escolas do Rio Grande do Sul . Antes das eleições, a Caravana em Defesa da Escola Pública debateu no chão da escola os projetos em disputa no estado e no país . Alertamos que um governo de Eduardo Leite não seria diferente do de José Ivo Sartori; nomes distintos para liderar o mesmo projeto. Estado mínimo, destruição dos serviços, massacre da categoria e ataques à escola pública . Infelizmente, o tempo tem nos dado razão . O atraso recorde no pagamento da folha de julho, os projetos de Eduardo Leite para atacar a Previdência estadual e a alardeada revisão dos planos de carreira reforçam as deliberações do Conselho Geral de 5 de julho. É preciso construir a greve em cada escola estadual e região do Rio Grande do Sul . O não conseguirá, sem o engajamento organizado e comprometido da categoria, reverter os retrocessos em curso. Será necessário dialogar intensamente com a base e sensibilizar colegas, alunos e pais em todo o estado para construir as condições para uma greve maciça e vitoriosa.

Educador(a), vamos mostrar ao Rio Grande do Sul a riqueza da escola pública! . Participe da 4ª Mostra Pedagógica do CPERS inscrevendo um trabalho desenvolvido na sua escola. Acesse o link na bio e veja como é rápido e fácil realizar a sua inscrição. . Educar é uma aventura criadora! ❤ .

Não tem salário para os educadores(as), não tem dinheiro para a educação, não tem política pública que não seja o desmonte, a crise e a morte. Mas tem muita luta! . Neste 13 de agosto, as ruas de Porto Alegre foram tomadas pela resistência em defesa da educação e da aposentadoria. .

Esquina Democrática

Porto Alegre está GIGANTE! Milhares de pessoas se encontram neste momento na Esquina Democrática. A nossa luta é em defesa da educação pública e da aposentadoria. Vídeo: Aristóteles Júnior

O ato se agiganta na Esquina Democrática! Cada vez mais gente chega ao coração da capital para defender a previdência e a educação pública, gratuita e de qualidade.

Em Pelotas, educadores(as), estudantes e demais trabalhadores(as) realizam ato neste momento em frente ao Mercado Público da cidade.

O está ocorrendo em todo o Brasil! Em São Luís (MA), as ruas estão lotadas. Todos(as) juntos(as) em defesa da educação e da aposentadoria. Vídeo: Danny Silva

O Tsunami em defesa da Educação Pública e contra a Reforma da Previdência pelo Brasil. Fotos: Mídia Ninja

"Governador Eduardo Leite, o senhor está levando essa categoria a uma grande greve! Nós não vamos aceitar. Vamos fazer a luta unificada com pais e estudantes, e vamos dizer ao governo estadual e ao federal: não roubem o sonho das nossas crianças. Aqui vai ter resistência!" . A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, neste momento na Praça da Matriz.

Não tem salário, mas tem luta! Milhares de educadores(as) lotam a Praça da Matriz para defender a escola pública e a valorização da categoria. Por respeito, pagamento em dia, reposição salarial e concursos públicos!

Praça da Matriz

"Não podemos deixar que o nosso direito à educação seja transformado em mercadoria." Liane Maria Bernardi, doutora em Educação pela UFRGS, palestra na primeira aula pública do ato na Praça da Matriz. Em pauta, a mercantilização da educação. "Os setores empresariais estão sempre prontos e organizados para se apropriarem de recursos públicos com discursos sedutores. Precisamos, também, nos preparar para a disputa".

Em todo o Rio Grande do Sul, estudantes e educadores(as) estão na rua em defesa da educação e da aposentadoria. Na foto: Caibaté , Cacequi, Viamão, Caxias e Rio Grande.

O saldo do primeiro semestre de Bolsonaro é desastroso para a educação, a ciência e a pesquisa. . Ainda é tempo de barrar o avanço da ignorância e do obscurantismo. . Nesta terça, 13 de agosto, todas e todos na rua! .

🔔 Está no ar mais uma edição do MINUTO SINETA! Em 60 segundos, as notícias mais importantes da semana do CPERS. Nesta edição: 📢 4º Mostra Pedagógica do CPERS 📢 X Congresso Estadual 📢 13 de agosto dia nacional de paralisação

Atenção, estudantes da rede estadual! No dia 13, antes do ato na Praça da Matriz, o CPERS reúne grêmios estudantis para articular ações e debater o cenário da escola pública. . Os 42 núcleos do Sindicato organizam ônibus para a mobilização na capital e estão à disposição dos estudantes. Contate o CPERS da sua região e participe! .

Atenção, educador(a)! Estão abertas as inscrições para a 4ª Mostra Pedagógica do CPERS. . Inscreva-se, participe e valorize a riqueza da escola pública! Link na bio! . Os 42 núcleos do CPERS organizam mostras regionais de setembro a novembro, e as inscrições devem ser realizadas com até cinco dias de antecedência ao evento. . Para apresentar sua experiência, basta preencher o formulário no site. A qualidade da escola pública fortalece a resistência!

Cerca de R$1 BILHÃO serão remanejados do orçamento do MEC para bancar emendas de parlamentares. . Para o governo Bolsonaro, educação é mercadoria barata. . É o dinheiro da educação, mas também é o dinheiro dos seus impostos, sendo utilizado para atacar a sua aposentadoria. . Não fique parado. No dia 13, todas e todos na rua! .

Reunimos todos os ataques de Eduardo Leite já noticiados previamente na imprensa ou identificados em outros meios. Todos previstos para este ano. Todos contra os servidores(as), a qualidade dos serviços e da educação. . Somente uma mobilização extraordinária pode colocar estes planos em xeque e obrigar Eduardo Leite a negociar e rever o projeto ultraliberal de destruição do Estado. . São cinco anos de reajuste zero e 44 meses de salários atrasados. Mas, para o governo, não é o bastante. Querem cortar mais fundo na carne dos educadores(as). . É uma vergonha, mas também é um mistério. O Rio Grande do Sul enfrenta cinco anos de um violento ajuste fiscal, e o resultado é uma economia cada vez mais deprimida e uma crise cada vez mais profunda. . Se você estivesse doente, continuaria tomando um remédio cheio de efeitos colaterais que só agrava o quadro clínico? É o que estão fazendo com o Rio Grande do Sul. . Vamos juntos enfrentar esse período nefasto da história do país e do nosso estado. Dialogue com seus colegas, com os pais, estudantes e toda a comunidade escolar. Precisamos construir as condições para uma greve maciça e vitoriosa. . A paralisação do dia 13 de agosto é parte importante dessa construção. Mobilize-se e venha a Porto Alegre. Vamos realizar um grande ato na Praça da Matriz, às 14h. Avante, educadores(as)! .

Quem fecha escolas, abre prisões! Eduardo Leite dá continuidade à política de desmonte da rede estadual iniciada por Sartori. Somente na última semana, apuramos o fechamento de oito escolas do campo na região de São Luiz Gonzaga. . No meio rural, o fim de uma escola significa a morte da comunidade, afastando o jovem do campo e estancando a referência geográfica e de socialização das populações. . Vamos resistir! A saída é se mobilizar. Elaboramos um passo a passo para orientar a luta pelo direito à educação. Compartilhe e ajude a divulgar! .

Atenção, educador(a)! . 13 de agosto é dia de PARALISAÇÃO na rede estadual. Mobilize-se e venha para Porto Alegre ou participe das manifestações na sua região. . Consulte seu núcleo e vamos construir um ato histórico! .

"É preciso construir a greve. Somente uma mobilização extraordinária dos educadores(as) pode colocar o projeto ultraliberal em xeque e obrigar Eduardo Leite a negociar. . Será necessário dialogar intensamente com a base e sensibilizar colegas, alunos e pais em todo o estado para construir as condições para uma greve maciça e vitoriosa. Para a direção central do CPERS, esta construção deve se dar com a adesão crescente a um calendário progressivo de mobilizações." . Confira a nota completa da direção central do CPERS para orientar a luta no link na bio.

Roque Gonzales, Rio Grande do Sul

Governador, tire as mãos da nossa escola! . Entre as escolas do campo sob ameaça de fechamento em 2020, está a EEEF São Francisco de Assis, na pequena comunidade da Cabeceira do Palmeira, em Roque Gonzales. . Nesta sexta (2), a comunidade se reuniu para defender a manutenção do educandário, com mais de 50 anos de história. A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, e a diretora Rosane Zan estiveram presentes para somar forças à mobilização.

No dia 13 de agosto, a aula é na rua! . O ato unificado de servidores(as) terá início às 14h, e a programação deve contar com aulas públicas e atrações artísticas. . Às 16h, as centrais sindicais se somam ao ato e, às 17h30, os manifestantes saem em caminhada, passando pela Esquina Democrática e chegando à Faculdade de Educação da UFRGS. . Assim como na capital, educadores(as) de toda a rede devem cruzar os braços em protesto contra a situação de miséria e a escalada de ataques à educação pública. O CPERS disponibilizará ônibus para os núcleos que não realizarem atos em suas regiões. Mobilize-se! .

English Turkish